Michael Jackson

Há centenas de escritores e biógrafos que poderiam escrever sobre Michael Jackson com mais facilidade. São os que acompanharam sua trajetória com auge e declínio . Por isso e para ser original, decidi escrever sobre minhas impressões. Tanto na infância, como na adolescência, essas impressões foram moldando o meu estilo musical e minha personalidade. Nascido no final da década de 1970, pude viver em uma casa em que se tocava Jackson Five e Michael Jackson, com discos, fitas cassetes, pôsteres e revistas com letras e traduções.
Nos poucos programas de Tv dedicados a Vídeo clipes dois que mais me chamavam a atenção eram Can you feel it, e Don’t stop til you get enough. Eram vídeos revolucionários para a época e que marcaram toda uma geração. Podemos dizer que os anos 80 foram inteiros do ídolo Michael Jackson, com os sucessos de Off de Wall ( 1979 ) e Thriller (1982). Essas duas obras revelaram um Michael Jackson cantor, compositor, dançarino, empresário e produtor.


O vídeo mais marcante dos anos 80, foi o clipe Thriller produzido entre 1983 e 1984, exigindo 6 meses de intensa gravação com uma performance perfeita dos melhores dançarinos do mundo. Deixou seus fãs tão entusiasmados que a partir de então esse clipe se tornou uma referência e um marco histórico na criação de filmagens cinematográficas em clipes musicais.

Mas o cantor não só revolucionou a música, a dança e o vídeo clipe, mas também suas próprias transformações físicas. Durante anos de operações plásticas e demais cirurgias para esconder uma doença na pele, acabou ficando com a aparência frágil e delicada, com muita sensibilidade a radiação solar. E o declínio veio com a revelação de escândalos sexuais, que seus fãs alegaram que ele seria vítima da síndrome de Peter Pan, como alguém que é criança pela vida toda. Na verdade quem estava por traz dos traumas de infância era o Pai que o castigou quando criança.


Sua morte prematura aos 50 anos, chocou muitos fãs, gerando traumas e frustrações. Deixou três filhos e um legado inédito para a música, tornando-se o mito Pop que mais ganhou dinheiro após sua morte, quando os herdeiros receberam de 1 bilhão de dólares.

 

Por Wendell E. Santos

Deixe uma resposta