Dublagem

wendel-bezerra-dublador-goku-dragon-ball-thumb-800x655-61360

Wendel Bezerra – Dublador

“Dublagem é a substituição da voz original de produções audiovisuais (filmes, séries, desenhos animados, telenovelas, documentários, reality shows, etc) pela voz e interpretação de um ator de voz quase sempre noutro idioma. Há também dublagem no mesmo idioma, usada para melhorar a entonação do som original, algo utilizado principalmente em comerciais e musicais, ou quando há alguma falha na captação de som direto, nas produções audiovisuais”.

 

“A dublagem é feita em estúdios de dublagem (não diga!), com profissionais diversos, dentre os quais os dubladores que são aqueles que com sua voz e interpretação, substituem as vozes de obras estrangeiras por uma versão nacional. O termo “dublagem” vem do francês “doublage” que significa substituição de voz”.[…]

História

Os primeiros filmes sonoros apareceram em 1925, mas o cinema começou a “dublar” somente em 1927 com o filme “The_Jazz_Singer – O Cantor de Jazz” que incluía algumas falas, porém o primeiro filme totalmente dublado foi “Luzes de Nova York” lançado em 1929.

O advento do som causou uma revolução no cinema da Europa e Estados Unidos. As falas dos personagens, que até então eram representadas por cartelas e podiam ser traduzidas a todos os idiomas, enfrentaram o primeiro desafio. Como a legendagem, em princípio, não obteve bons resultados, pensaram até em filmar as cenas em vários idiomas com os mesmos atores ou com outros atores de diferentes partes do mundo. Esta solução, é claro, não era economicamente viável. Mas em 1930 Jacob Karol inventou um sistema de gravação que permitia sincronizar áudio e imagem. Era o nascimento da técnica que seria chamada de dublagem.

O recurso da dublagem permitiu o aprimoramento da qualidade sonora dos filmes, visto que os equipamentos de filmagens eram extremamente barulhentos, o que nem sempre permitia uma boa captação do som. Foi também uma boa solução para as tomadas externas em condições adversas.” […]

Fonte: Wikipédia

Tudo bem. Mas e daí?

Brasil

“[…]Os filmes brasileiros já contavam com a dublagem para corrigir a precariedade do equipamento de som disponível nas produções da década de 1940 e 1950 e tornou-se natural fazer o mesmo trabalho para os filmes estrangeiros. Com o sucesso da televisão, a necessidade de dublagem para a tela pequena se tornou imperativa e aos poucos os brasileiros se acostumaram à idéia, quase inconcebível na época, de grandes astros de Hollywood falarem português.

[…] Para se trabalhar com dublagem, se faz necessário o Registro Profissional de Ator (também conhecido como DRT), o qual, é expedido pela Delegacia Regional do Trabalho. Mas pode ser requerido pelo SATED regional (Sindicato dos Artistas e Técnicos em Espetáculos e Diversões), que emite um documento de capacitação profissional, o qual é acatado pelo Ministério do Trabalho e Emprego. Para o registro no MTE, são necessários diploma ou certificados de conclusão de curso profissionalizante (técnico ou superior) reconhecido pelo MEC, ou o atestado de capacitação do sindicato.[…]”

Fonte: Wikipédia

Tudo isso para quê?? Simples para dizer que existe um trabalho árduo para adaptar alguma obra antes de chegar até você. Ninguém está julgando preferências, se na sua opinião o original é melhor, ótimo. Agora falar que dublagem é um lixo, ou que nunca presta, não é bem assim! Falando por mim mesmo, também sou um dos que preferem o áudio original em muitas produções. Mas nesse caso em especial, eu não consigo imaginar um kamehameha que não seja nessa voz:

Nostálgica? Bom , eu sei que também existe algumas coisas na dublagem que….

Como todas as profissões existe os prós e contras; mas o detalhe maior é que os dubladores não são os principais culpados pelas bizarrices. Normalmente o problema é o cliente responsável pelo filme que faz essa solicitação por questões de marketing…
Onde eu quero chegar? Simplesmente para que não apontem as pedras para os dubladores, eles só fazem o trabalho deles. E assim como no seu trabalho, tem coisas que você não concorda, mas é obrigado a seguir. O mesmo serve para eles.

O vídeo abaixo, do canal Você Sabia comenta um pouco sobre essa questão na dublagem e traduções de filmes:


Jean Santos

Deixe uma resposta